Poesias

PERDÃO

Minha alma está inquieta.
Minha essência clama por vingança.
Persigo um ideal distante.
Quero eco de um coração solitário.
Busco o perdão da alma serena
e só encontro mágoas renitentes.
Sofro querendo o perdão de mim mesma.
Vagueio pelo etéreo,
buscando a remissão
de meus pecados não vividos.
Percebo que sofro em vão,
pois o pecado é latente em mim mesma.

Neida Rocha
14/06/2016

 

 

Todos os direitos reservados a Neida Rocha. Os textos podem ser copiados, desde que citado o nome da autora

site desenvolvido pela wwsites - sites para escritores