Poesias

DIA DAS MÃES (1º ano sem minha mãe)

MÃEZINHA
(minha mãe teve derrame)
Tua Metade adormeceu!
Tua voz calou!
Teu braço caiu!
Tua perna parou!
Estás incompleta!
Estás pela metade!
No entanto,
teu coração está vivo
e a metade que funciona
é justamente
onde está teu coração.
Agradeço
por poder te dedicar
uma parcela do amor,
que tanto me dedicaste.
Sei que tudo isso é passageiro
e que tua garra e tua vontade
te levantarão mais cedo
do que todos pensam.
E sem ter que provar
nada, a ninguém,
breve estarás “inteira”.
E quero ainda dizer-te,
que mesmo estando incompleta,
és mais completa do que muitas
“perfeitas”!

MÃE TERRA
Vivência consciente.
Permissão Divina.
Semente fértil
brotada no solo
da lavoura arada.
Sulcos fundos rasgados
na camada da Verdade,
adubada pelo Amor
e regada pelas lágrimas
do Sentimento.
Ciclo da Vida!


08/05/2011

 

 

Todos os direitos reservados a Neida Rocha. Os textos podem ser copiados, desde que citado o nome da autora

site desenvolvido pela wwsites - sites para escritores